Categoria: Márcia Mattos (Página 1 de 2)

A Cruz do Mapa Natal e seus 4 pontos cruciais

A Astrologia trata de um universo muito amplo de temas que tocam a vida humana, o indivíduo e suas circunstâncias de vida. Diante de qualquer fato, existem quatro pontos cruciais que se apresentam diante dos seus olhos nas mais variadas situações. O primeiro diz respeito a tudo aquilo que vem de dentro, o seu mundo interior e suas condições internas. Aquilo que faz com que seja determinado estado de espírito seja provocado em você.

O segundo diz respeito aos outros, aqueles que surgem diante de uma situação e são aquelas pessoas – colaboradores ou parceiros – com quem você é obrigado a lidar.

O terceiro ponto trata das condições externas: o mundo lá fora e tudo aquilo que é exterior a você, que inclusive pode ser um elemento facilitador ou perturbador, embaraçando ou desembaraçando a situação. Finalmente, o ponto que diz respeito a você: como é o seu comportamento diante das mais diversas circunstâncias; como você conduz a situação e como dirige o carro nessa estrada de acontecimentos.

Esses quatro pontos estão apontados no mapa natal, através da cruz do mapa; Ascendente, Fundo do Céu, Descendente e Meio do Céu. Dependendo do signo que se encontra em um destes quatro pontos, os planetas que estão posicionados nas casas 1, 4, 7 e 10, e do formato ou do desenho das condições que estes planetas se encontram, é possível descrever com detalhes o desempenho desses 4 pontos.

Dessa forma, é possível antecipar qual é a natureza dessas situações que se apresentam em relação ao seu mundo interno, suas condições de alma, o seu encontro com os outros nos mais variados eventos, as condições externas e como você maneja individualmente cada uma dessas situações.

Achou esse conteúdo muito curto? Nos próximos conteúdos descreveremos separadamente cada um desses pontos com alguns exemplos de como funcionam signos e posições planetárias.

Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: https://www.ciadosastros.com.br/

Casa 12 e a atuação de forças ocultas

A Casa 12 é uma das áreas mais complexas do mapa natal, porque é um desafio entender e explicar a atuação dos planetas e dos signos posicionados nesta casa. No entanto, o maior desafio é vivenciar as diversas situações que surgem diante dos nossos olhos perante a Casa 12.

Essa casa em questão está ligada a todas as experiências da vida que fogem ao nosso controle. Como todo mundo possui uma Casa 12 no mapa natal, inevitavelmente,  todos enfrentam as situações que surgem quando estão diante do desconhecido, imponderável ou de quando não há nada a fazer.

Essas situações vivenciadas no âmbito da Casa 12 ultrapassam nossos desejos, possibilidades e iniciativas. É por assim dizer que as situações surgirão, independente das interferências e atos que você possa produzir. É uma área de baixíssima atuação do EU. Essas situações tem a ver com as circunstâncias da vida, com as linhas do destino, com as conjunturas e, é claro, com o inevitável.

Um exemplo muito prático de situações vividas na Casa 12, por exemplo, seria estar em um engarrafamento e enxergar mais a frente quilômetros de carros num viaduto que você terá que atravessar. Não se pode fazer nada, a não ser seguir o fluxo. Outro exemplo: a pessoa está no aeroporto para embarcar e os vôos foram cancelados, porque está sem teto para decolagem, outra típica situação que não depende de você. O mesmo aconteceria durante uma intervenção cirúrgica na qual o paciente está anestesiado portanto, fora da cena e tudo que se pode fazer é confiar na perícia do cirurgião, assim como do piloto, e esperar que tudo ocorra da melhor maneira possível.

Dependendo do planeta e do signo que estiverem na Casa 12, ou até mesmo de quantos planetas estiverem posicionados nela, o mapa vai descrever como a pessoa vivencia esse tipos de situações, o nível de entrega, de aceitação ou não aceitação, de comunhão ou não com aquela tal circunstância do imponderável. Dependendo das condições da Casa 12 é possível saber, ainda, se a pessoa é do tipo que não faz as coisas quando estão ao seu alcance, por exemplo, mas que de repente resolve atuar justamente naquela situação que está além da sua capacidade de gerenciar.

Em resumo, a Casa 12 remete a tudo aquilo que é imponderável e desconhecido. As circunstâncias pioram ou suavizam, elas vem em auxílio ou são complicadoras da situação. Curtiu esse conteúdo?

Descubra mais sobre as forças ocultas da Casa 12, no Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

 

Futuro: como você lida com ele?

O futuro é um assunto bastante interessante e curioso, mas o que será que a Astrologia diz sobre ele?

Algumas pessoas se programam para a vida lá na frente; “ah, eu vou me aposentar aos 65 anos”, “vou viajar para tal lugar daqui a 5 anos” ou “vou mudar de casa daqui a 2 anos”, por exemplo, são afirmações bem comuns de se ouvir. Por incrível que pareça essas pessoas planejam, programam e conseguem esses projetos de vida com muita facilidade. São pessoas que têm foco e clareza no futuro e executam seus projetos, passando longe do abstrato do “quem sabe um dia”.

Por outro lado, existem aquelas pessoas que costumam usar a expressão “o futuro a Deus pertence”, “um dia”, “eu ei de conseguir” e por aí vai. Como se o futuro fosse algo sem forma, muito vago e a mercê do acaso, do destino e das circunstâncias, fazendo com que elas se sintam direcionadas para este tipo de percepção, porque estão com outro foco na vida.

Existem também aquelas pessoas que jogam possibilidades, ações e tudo o mais lá pra frente, do tipo “quando der, eu faço”. Ações essas que elas teriam a perfeita condição de fazer no momento presente.

Também existem as pessoas que estão extremamente envolvidas com o momento presente, com o imediato. Por isso, tendem a ter uma vida acelerada, com muitas emergências, de modo que elas não têm condições de se imaginar no futuro. Isso pode ser explicado pelas situações vividas, que as trazem sempre para o instante, o agora, o presente.

Esse assunto é abordado pela casa 11 – através dos signos, planeta regente e outros planetas – que mostra como a projeção do futuro funciona na vida de uma pessoa. O tema faz parte do Curso de Formação em Astrologia da Cia dos astros: www.ciadosastros.com.br

Necessidade e desejo do ponto de vista astrológico

A Astrologia trata de temas bastante variados e interessantes, não é verdade? Neste post vamos falar um pouco sobre as diferenças entre a necessidade e desejo, do ponto de vista astrológico.

Quando estamos num estado de necessidade é comum sermos invadidos por uma sensação de urgência, causada pela desnutrição ou carência de algo. Claro, afinal está faltando alguma coisa. Por isso, é comum que se procure por uma pessoa, relação ou um trabalho que preencha essa lacuna. A necessidade reflete o estado de estar em pedaços, em partes, e buscar por algo que preencha o que está em falta.

O desejo não é a necessidade de algo, mas reflete o estado de busca por prazer. O ser aprecia fazer algo que lhe proporcione essa sensação, como o simples fato de estar com alguém, por exemplo. Não é uma situação em que você PRECISA daquilo, diferente da necessidade. No entanto, quando ela ocorre, o prazer invade. O desejo irradia gratificação, alegria e suavidade.

Na linguagem astrológica ou no famoso astrologuês, a necessidade está ligada a Lua. E Vênus, por sua vez, ao desempenho do desejo, do prazer ou da satisfação. Mas na Lua não há escolha, apenas necessidade. Já em Vênus a situação é diferente, porque existe o poder da escolha. Você pode escolher fazer isto ou aquilo, já que está em busca de algo que lhe proporcione satisfação. Por isso, é interessante vermos no mapa natal o estado em que está a Lua e a Vênus, por signo, por casa e por estado dos outros planetas. O intuito é saber como se dá a busca por necessidade e por desejo, pelo poder de escolha, além de saber se as nossas necessidades são atendidas e se fazemos escolhas bem feitas.

Gostou desse tema e quer saber mais? Venha saber mais sobre o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Dores da alma: melancolia

A melancolia pode ser um estado psíquico que gera certa letargia; representa uma anulação do ‘eu’. O processo melancólico ocorre, basicamente, quando há uma perda importante na vida de um indivíduo que estava vinculado, por exemplo, a um emprego, casamento, a uma pessoa, entre outras situações.

O melancólico possui uma forte composição de Netuno, tem uma Lua tensionada no mapa (trânsito/transgressão), porque ela representa justamente vinculamento: com a mãe, com as pessoas, com objetos e assim por diante. Por isso, quando ela está tensionada – principalmente Netuno/Lua – há uma sensação de que você mora no espaço, ou seja, de que não há nada nem ninguém que possa ser usado como referência. O sentimento de não estar vinculado a algo resulta no desnutrição emocional e vazio emocional, um dos componentes da melancolia.

Outros indicadores astrológicos são: Netuno proeminente, Netuno/Vênus, Netuno/Lua, Netuno de Casa 7, Netuno nodo – em que você perde o vínculo, mas mantém o outro intacto e aceita morrer/se sacrificar para mantê-lo vivo. Sol debilitado, porque a questão do ‘eu’ é pouco fortalecida, deficiência do elemento fogo, baixo desempenho da Casa 8 –  responsável por abonar os lutos, eliminar as situações e deserotizar o que foi perdido, erotizando o que está por vir, aquilo que é novo e também pelas reparações. Além disso, há um baixo desempenho das Casas 1 e 5, que são casas de preservação e afirmação da identidade do ‘eu’.

Todos os estudos realizados sobre as dores da alma: raiva, ansiedade, depressão e, agora, melancolia foram feitos com base em alguns conceitos do livro ‘Os quatro gigantes da alma’, de Mira Y Lópes – Editora Olympio.

O objetivo foi falar um pouco sobre a interessante relação entre Astrologia e Psicologia relacionando todos esses sentimentos aos indicadores astrológicos no mapa natal!

Gostou dessa jornada? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Dores da alma: depressão

A depressão é um estado atônito, uma supressão da disponibilidade de energia do metabolismo para o corpo. Das 4 estações do ano existentes, o sujeito deprimido se identifica mais com o     Outono/Inverno. Ele fica deprimido em um dia bonito, porque está fora de sua sintonia interior. Por isso, o deprimido se sente mais adequado ao tempo em que a vida não verdeja, tem uma retração e contenção muito grande, criando mundos e limites imaginários.

Isso acontece primeiramente por se tratar de um mecanismo de defesa, de se sentir protegido. Num segundo momento a criação de situações imaginárias o isolam, o que é muito perigoso para o deprimido.

O deprimido fica muito desconfortável no convívio e, mesmo convivendo com outras pessoas, se sente isolado.

Quem convive com um depressivo não pode desistir do enorme desafio que é lidar com ele, não pode se afastar mesmo que fique do lado de fora da porta, em outro cômodo da casa. Uma das raízes da depressão é o processo mal feito de vinculação e nutrição emocional. Por isso, as figuras mais próximas precisam nutrir emocionalmente a pessoa deprimida e não comprar seu isolamento.

Uma das características da depressão é uma percepção da vida de linearidade. É como se eles enxergassem a vida sem ondas, sem calombos, sem ciclos, sem mudanças, tudo é sempre igual. Sem perspectiva, eles têm uma espécie de miopia existencial. É uma configuração forte de Saturno. O depressivo tem uma miragem tóxica, ele olha a vida sem enxergar suas nuances, demonstrando uma forte crise de fé, confiança, esperança e criatividade frente a vida; não enxerga meios, mesmo quando eles existem.

Encontramos pessoas hiperativas correndo o tempo todo, com o tempo preenchido por atividades diversas, esse é o depressivo em fuga. Na primeira brecha, no primeiro feriado ou no primeiro dia de chuva ele cai em depressão, há um enorme buraco e vazio interno.

Os indicadores astrológicos da depressão são: deficiência do elemento fogo, comprometimento das funções Marte/Sol, mau desempenho da casa 5 (produção do estado de alegria, felicidade e criatividade – sentir-se capaz de criar alternativas e soluções de vida), um Sol debilitado, trânsito de Saturno, trânsito de Netuno/Sol, Sol de casa 12, Saturno proeminente no mapa (fechando, deixando pobre, encurralando o sujeito), baixo rendimento de Júpiter no mapa natal em aspecto ou trânsito, Netuno dominante no mapa natal (perda de encantamento), ou seja, por mais maravilhosa que seja uma situação, o indivíduo não consegue se ligar ao sentimento de encantamento. Saturno proeminente, como se a vida tivesse sido uma grande decepção, e o mau desempenho da casa 12 (vazio interno).

A Lua muito proeminente também é uma predisposição para a depressão, principalmente a Lua de casa 12.

Curtiu esse post? Fique de olho no próximo tema no nosso blog ‘Dores da Alma’, MELANCOLIA!

Esse estudo utilizou como referência alguns conceitos apresentados no livro “Os Quatro Gigantes da Alma” de Mira Y Lópes – Editora Olympio.

Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

 

Dores da alma: ansiedade

A ansiedade é uma dor da alma muito presente nos dias de hoje. Se você se interessa pelo tema, com certeza, vai gostar de saber um pouco mais sobre o assunto na perspectiva astrológica.

O ansioso é hiper-reativo a estímulos externos: barulhos, luzes, movimentos e enfrenta o aspecto mental de que a sua mente não para de trabalhar, só produz o tempo todo. O ansioso é também um indivíduo abstrato, porque está sempre fora do lugar, fora do contexto e supondo situações, se adiantando.

Quem enfrenta a ansiedade possui um sério problema com o tempo, porque vive uma situação que ainda não chegou a acontecer. Por isso, a angústia por antecipação.

O sofrimento do ansioso é a espera; diante da espera pelo resultado de um exame ou pelo resultado do ENEM, por exemplo, ele fica num estado de suspensão. Quando tem um desfecho, mesmo que ruim, é um alívio. O indivíduo pensa “graças a Deus, não passei. Mas agora, pelo menos, posso dormir.”

O ansioso também possui baixos recursos internos, tudo que está dentro é muito pequeno, apertado e, por isso, tudo transborda. Tudo que é sustentação o ansioso não possui, por isso, geralmente tem uma aceleração de pulso, cardíaca e dificuldade de deglutição.

São personalidades com uma tendência muito grande de interferir nos processos, estão sempre atuando, resolvendo e interferindo em determinadas situações, porque sentem que dessa forma estão movendo as coisas.

O estado de inquietação e sofrimento pela espera, como uma ligação pra dizer sim ou não para um cinema, é tremendo. O ansioso também tem uma tendência abortiva, isso quer dizer que ele pode ficar esperando 10 minutos pra saber se vai ao cinema e, logo depois, desistir da saída e falar “não vou mais”. Tudo está em movimento o tempo todo!

A ansiedade deriva do medo e da expectativa de que algo que ainda vai acontecer possa acontecer fora do controle de quem sofre desse mal e, mais, ter um resultado adverso do que o indivíduo imaginou.

Quem lida diariamente com a ansiedade encontra uma baixa predisposição para passar pelos processos e pelas etapas, a pessoa não corre, voa pelas experiências da vida, mesmo aquelas que são boas e prazerosas (até mesmo as sensoriais). Num momento de prazer, por exemplo, ela já está pensando no próximo passo.

Os indicadores astrológicos são: o excesso do elemento fogo e ar; da polaridade masculina, que é ativa; elemento ar dominante (abstracionismo); muitos planetas em Gêmeos (pensar sobre, os muitos ‘e se’); Aquário; Urano proeminente; as configurações Urano/Marte; Urano/Mercúrio e Urano/Júpiter.

Um fato interessante é o de quando há uma configuração desarmoniosa entre Urano e Júpiter não existe contenção, é tudo solto e desamarrado. Outro indicador astrológico da ansiedade é Júpiter proeminente ou angular, um trânsito de Júpiter/Sol, por exemplo, em que o  indivíduo quer abarcar tudo no mundo e entra em ansiedade.

Algo bastante interessante a respeito do quadro de ansiedade é que o ansioso melhora muito quando começa a ter mais espaço e tempo entre os acontecimentos, como uma prova hoje e outra na semana que vem. Quando tudo está misturado a ansiedade é tremenda. Outro aspecto importante é quando ele começa a querer menos, fazer menos, baixar um pouco a bola. Trânsitos repetidos de Júpiter revelam uma pessoa hiper ansiosa porque ela visualiza a quantidade de coisas que ela poderia abarcar e resolver, mas que ela não pode ter/fazer. É como uma criança em uma loja enorme de doces e guloseimas.

Outros aspecto astrológicos indicadores da ansiedade são: deficiência do elemento Terra, claramente, porque esse elemento quando equilibrado é que traz o indivíduo para o momento presente;  Marte proeminente, a pressa que traz a palpitação e ansiedade. É como se a pessoa ainda não tivesse entregado um documento e, mesmo assim, ela já quer saber quando vai ficar pronto, ou seja, não cumpre as etapas e os processos.

Além disso, há uma deficiência da polaridade feminina, que serve para acolher e gerar um pouco antes de colocar para fora, como a mãe que acolhe o filho no útero materno. Também há deficiência da casa 4, que possui esses recursos internos de acolhimento.

Também são indicadores astrológicos: Saturno angular, saturno de casa 5, Saturno/Plutão (ligado ao controle) e o mau desempenho da casa 12, que é justamente espaço da vida em que as coisas estão em gestação e o próprio indivíduo não sabe no que aquilo que vai dar. Na família da ansiedade encontramos a preocupação, o medo, pânicos e fobias.

Curtiu esse post? Fique de olho no próximo tema no nosso blog ‘Dores da Alma’, DEPRESSÃO!

Esse estudo utilizou como referência alguns conceitos apresentados no livro “Os Quatro Gigantes da Alma” de Mira Y Lópes – Editora Olympio.

Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Previsões astrológicas: o que esperar do Brasil em 2019

Um ano novo chegou e, com ele, novas resoluções importantes para a vida de todos nós, inclusive para o Brasil. Temos a passagem de Júpiter pela casa 10 no mapa do Brasil. Quando Júpiter atravessa o mapa de alguém ou, como neste caso, de um país traz mudança, prosperidade, expansão e crescimento para o segmento onde ele está transitando.

A Casa 10 é o Poder Executivo, que aliás coincide com mudança de governo deste ano. Júpiter passando por esta casa expressa um momento que garante uma espécie de espaço de manobra para o Poder Executivo, presidência e assessores, atuarem de uma maneira não tão restrita, acorrentada e presa. Além disso, também é uma indicação de uma melhoria, prosperidade e avanço para o crescimento econômico no país. Facilita êxito nas medidas que possam resultar no desenvolvimento do Brasil e também um pouco mais de prestígio e reputação para o país em 2019. Essa fase deve ser aproveitada!

Por outro lado, temos um aspecto tenso na Casa 9; Urano oposto a Marte. Essa casa está ligada ao setor internacional, às relações internacionais e relações exteriores do Brasil, e também ao Poder Judiciário. Essa oposição Urano-Marte gera uma certa instabilidade, desconforto e estresse no cenário internacional. Podemos dizer que as pessoas responsáveis pela política externa do país tem que ser menos impetuosos, imprudentes e evitar medidas mais arriscadas que possam gerar afastamentos e rupturas de parceiros internacionais importantes.

A outra tensão presente na casa 9 do mapa do Brasil é em relação ao judiciário. Há um ar de estresse, tensão e provocação e mais tendência a conflitos com figuras proeminentes do Judiciário, ou entre elas, especificamente em 2019, nos meses de Maio-Junho, Outubro-Novembro, além de Fevereiro e Março do ano que vem.

Quer saber mais sobre as previsões astrológicas? Conheça o nosso Curso de Formação em Astrologia: www.ciadosastros.com.br

O Ingresso de Marte em Peixes

Nesse post vamos falar sobre a posição de Marte no céu, que entrou no signo de Aquário nos últimos meses. No dia 16 de Novembro Marte ingressou no signo de Peixes e ficará até o dia 1º de Janeiro, trazendo um cenário bastante interessante.

Esse cenário celeste é coletivo, ou seja, afeta a todos nós. Marte em Astrologia está ligado aos nossos impulsos, iniciativas, a capacidade de empreender, de decidir. Como esse planeta está no signo de Peixes, a dica é que a ação mais eficaz e os impulsos que vão trazer mais êxitos são aqueles em que a nossa atuação seja panorâmica. De que forma? Vamos fazer uma analogia ao futebol. É como se antes de chutar a bola você tenha que examinar o campo todo, o adversário e as condições amplas daquela jogada para fazer o gol. Por isso, nenhuma decisão ou atitude que seja observado apenas o detalhe deve ser tomada neste período, pelo contrário, devem ser analisadas de forma ampla para que se tenha sucesso.

A segunda dica é não brigar, se indispor ou forçar algo em determinadas situações. Evite o conflito, contorne a situação e evite se indispor. Peixes é um signo de água, portanto agir de forma fluente e contornar o confronto, evitando o desgaste de energia, é o mais indicado. Siga sem criar adversidades em torno das suas ações e decisões!

A terceira dica é esperar a maré a seu favor. Quando a maré está ao seu lado é o momento mais favorável para que você tome decisões e encontre menos resistência. Não é preciso nadar contra a correnteza, porque basta usar as velas do barco e o vento a seu favor. Dessa forma, todas as suas decisões fluirão sem muito esforço ou desgaste de energia.

Nesse ingresso de Marte em Peixes uma pequena decisão acaba tendo um efeito dominó, o que é muito positivo coletivamente. Quer dizer, entre outras coisas, que cada pequena decisão ou esforço trará resultados. Aproveite os bons ventos e reme rumo ao seu sucesso!

Essa posição favorece encorajamentos, iniciativas e ações das pessoas que têm Planetas, Ascendente, Sol e Lua em Peixes, Câncer e Escorpião.

Achou esse post muito curto e quer saber mais sobre o ingresso dos Planetas nos signos? Conheça o Curso de Formação em Astrologia: www.ciadosastros.com.br e inscreva-se no nosso canal no youtube: https://bit.ly/2QaLtDV

Vênus, o Amor e a Aliança de Eros

O amor sempre dá o que falar, não à toa as pessoas têm muita curiosidade sobre o assunto. Em Astrologia, o significado essencial de amor é representado por um Planeta específico; Vênus. Este Planeta fala não só sobre os nossos sentimentos, mas também sobre a nossa capacidade de afeição e por quem nos afeiçoamos. Quando se ama alguém, junto ao sentimento de amor surge também uma série de outros sentimentos.

Por outro lado, onde há amor também há encrenca. O grau de complexidade e desses sentimentos adicionais são diferentes astrologicamente, de acordo com os tipos de relação. Relação amorosa, profissional, familiar ou a nível de amizade. Chamamos esse complexo ou padrão de Aliança de Eros. Através dela é possível saber quais são os sentimentos elencados nessas relações, ou seja, no momento em que se é atingido pela flecha do amor.

Para isso, é fundamental identificar os aspectos astrológicos existentes entre a aliança de Vênus com outros planetas no mapa natal. Por exemplo, quando a Vênus forma uma aliança com Saturno e essa relação é harmônica, alguns sentimentos como sentir-se seguro, estruturado e estável são muito evidentes. É como se o amor existente consertasse na vida dessa pessoa uma eventual falta de estrutura pessoal, emocional e material que ela vinha sentindo. Dessa forma, ela sente que a partir da relação amorosa pode andar com solidez; evidenciando o poder estruturador do amor.

Já no caso de uma aliança desarmônica entre Vênus e Saturno, com aspectos complexos e bastante difíceis, há uma briga no mapa natal. Quando se ama, o sentimento elencado ao amor é o de rejeição nessa relação. Ainda que o parceiro não tenha cometido nenhum gesto ou ato depreciativo, é como se a pessoa se sentisse imediatamente rejeitada. O sentimento de estar apaixonado acompanha o sentimento de desmerecimento, insegurança pessoal e da sensação que faltam atributos para que o outro se encante. Logo surgem ideias de que o outro não vai corresponder ao sentimento ou de que a relação vai esfriar ao longo do tempo, pela incapacidade dela de despertar o amor no seu parceiro.

Mais adiante vamos falar da Vênus ligada a outros planetas – como Netuno, Urano e Plutão – com a finalidade de entendermos, com mais clareza e precisão, o que o amor nos faz sentir em cada uma dessas relações no mapa natal.

Achou esse post muito curto? O tema está presente no módulo de aspectos, do Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros, conheça melhor a nossa metodologia: www.ciadosastros.com.br

Não perca nenhum vídeo, inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Página 1 de 2