Autor: Cia dos Astros (Página 2 de 10)

Céu de Janeiro

Todo início de ano marca um período para renovar propósitos para o futuro. Nesse sentido, o ano começa animado pelo ingresso de Marte em Áries, seu habitat natural, aumentando nossa energia e iniciativa para sairmos da inércia e avançarmos na direção dos nossos objetivos. No entanto, Sol e Saturno conjuntos em Capricórnio de 1 a 3/1 vão adicionar boa dose de realismo e pragmatismo às nossas ações, o que pode ser muito positivo para as suas efetivas concretizações, desde que o receio de avançar não seja excessivo.

Como Mercúrio passa por Capricórnio de 5 a 24/1, será um bom período para organizar papéis, documentos e montar estratégias de longo prazo. Entre 3 e 4/1 você deve aproveitar o trígono entre Mercúrio e Urano para pensar fora do padrão usual, e assim conseguir inovar e descobrir saídas originais e criativas para velhos problemas. Como o Sol e Netuno também fazem um sextil no período de 3 a 5/1 haverá uma ajuda celeste nesse sentido, aumentando sua intuição e inspiração.

No dia 6/1 Urano fica estacionário e inicia seu movimento direto até agosto, indicando mais novidades e mudanças nesse período. No dia 05/1 às 22h28 de Brasília ocorre um eclipse parcial do Sol em Capricórnio (Lua nova). Eclipses são eventos especiais, em que temos a chance de perceber o mundo sob outra ótica, como se a luz do local onde estamos desse uma piscada, nos fazendo perceber o que está ao nosso redor de uma forma diferente. Nos eclipses solares como esse, a Lua – energia passiva ou Yin –  apaga momentaneamente a energia consciente, ativa e solar (Yang), favorecendo os insights e lembranças relativos ao passado. Pode haver um saudosismo mórbido sobre as conquistas e sucessos passados, por até seis meses após esse eclipse. Isso acontece devido à conjunção da lunação com Plutão, principalmente para os nascidos no segundo decanato dos signos cardinais (Capricórnio, Câncer, Áries e Libra). Dezesseis dias depois, em 21/1, às 02h16 de Brasília, ocorre outro eclipse. Agora total da Lua cheia a 0º52’ de Leão, com Urano “quadrando” os dois luminares. Esse episódio pode marcar mudanças súbitas de crenças passadas, que são substituídas por novas e revolucionárias nos próximos meses, principalmente para os nascidos no primeiro decanato dos signos fixos (Leão, Aquário, Touro e Escorpião).

Vênus fica no signo de Sagitário do dia 7/1 a 3/2, despertando em nós o desejo de ampliação dos nossos horizontes, seja através de alguma reunião social com muita gente ou o desejo de experimentar uma culinária mais exótica em algum restaurante.

Mercúrio e Marte, que estarão em pé de guerra de 7 a 9/2, podem indicar propensão a muitas brigas, discussões e conflitos, principalmente verbais. É aconselhável uma cautela maior no trânsito e nos deslocamentos para se evitar acidentes e precipitações.

Júpiter e Netuno de 8 a 19/1 poderão nos ajudar a ver o lado mais colorido e romântico do mundo. Evite a ingenuidade, mas aproveite esses dias para dar uma chance para a arte, a música e as questões mais espirituais ou sutis, porque estarão mais acessíveis.

O Sol em Capricórnio encontra Plutão de 10 a 12/1 fazendo com que possamos atuar com maior determinação e deixando florescer nosso carisma e autoridade.

Do dia 12 ao 14/1, Saturno se une a Mercúrio, o que desperta um pensamento mais racional, pragmático e lógico.  Pode ser um ótimo período para tocar tarefas que exigem altos níveis de concentração e foco por longos períodos. Por outro lado, de 14 a 15/1, Mercúrio solta Saturno e se harmoniza a Netuno, facilitando mais o pensamento não linear e intuitivo em detrimento da razão absoluta. Logo depois, Vênus e Marte em trígono de 16 a 21/1 facilitarão muito a vida dos pares românticos. A libido e a sensualidade ficarão em maior evidência.

É bom ficar atento a conjunção de Mercúrio e Plutão de 18 a 19/1, já que esse episódio pode provocar uma comunicação penetrante e persuasiva, mas nem sempre muito doce…

Sol quadrado a Urano de 17 a 19/1 vai nos causar impaciência e excitação, junto com uma boa dose de desejo por maior liberdade. Procure ver as coisas sob outra perspectiva, será interessante.

Na manhã do dia 20/1 o Sol entra em Aquário, permanecendo neste signo até 18/2, favorecendo os encontros sociais, a elaboração de planos sobre o futuro sob uma abordagem original e de vanguarda.

De 19 a 23/1 Marte e Saturno se desentendem seriamente, dificultando muito as iniciativas. Seja paciente e persistente, evite abrir caminho a qualquer custo. De 20 a 22/1, Vênus entra em tensão com Netuno, desaconselhando-se fechar compras/vendas ou, até mesmo, abrindo os olhos para não ser enganado em questões envolvendo dinheiro. O julgamento da realidade fica obscurecido.

Como Vênus e Júpiter ficam em conjunção de 21 a 23/1, é um bom conselho evitar gastos excessivos até esse dia. Por causa da quadratura de Urano e Mercúrio de 22 a 23/1, é prudente planejar bem os deslocamentos com alguma antecedência e ter cuidado ao expor suas ideias nesse período, porque a mente de todos fica extremamente agitada e ansiosa, assim como as comunicações e o raciocínio entrecortado.

Não é um bom momento para negociar acordos ou conseguir a adesão das pessoas às suas ideias – evite impô-las. Mercúrio entra em Aquário na madrugada de 24/1 e lá fica até 10/2, facilitando nesse período o pensar fora da caixa e o surgimento de ideias inovadoras e à frente do seu tempo.

De 23 a 27/1 os céus nos presenteiam com um ótimo aspecto entre Marte e Júpiter, aumentando a nossa iniciativa, coragem, autoconfiança e sendo até favorável para atividades esportivas ou viagens. O fim do mês, do dia 28 a 31/1, ainda favorece as relações comerciais, divulgações e contatos de todos os tipos proporcionados pela conjunção Sol e Mercúrio. É bom ter um cuidado no dia 31, à partir do final da manhã, pois devido à quadratura de Marte e Plutão até 3/2 podemos ter situações explosivas e violentas. Convém evitá-las!

Conheça nosso Curso de Astrologia: https://ciadosastros.com.br/

Júpiter em Sagitário e seu encontro com Netuno

Júpiter entrou em Sagitário em Novembro de 2018 e fica nesse signo, onde está muito confortável para fazer suas façanhas, até Novembro/Dezembro de 2019. Os astrólogos já chamaram atenção pra esse grande posicionamento de Júpiter e Sagitário, que promete crescimento, avanço, multiplicação, prosperidade e evolução. Aliás, é muito mais fácil crescer quando Júpiter se encontra em domicílio no próprio signo.

Por este motivo, onde você tiver Sagitário na casa natal, planeta ou aspecto, como no caso dos signos de fogo Áries, Leão e o próprio signo de Sagitário, você terá uma expansão naquela área do seu mapa natal. Por outro lado, haverá um diálogo complicado de Júpiter com Netuno, que se encontra no Signo de  Peixes. Peixes é, por assim dizer, um signo adverso ao signo de Sagitário. Para quem entende um pouco de astrologia, sabe que isso acontece por causa da quadratura entre Júpiter e Netuno. Esse encontro adverso acontecerá em Janeiro de 2019 e, principalmente, no meio do ano (Julho a Setembro).

Crescemos, progredimos, adicionamos, aumentamos e, quando há esse encontro com Netuno, tudo o que foi conquistado até então, pode se esvair, se perder. É como uma bolha de sabão que se estoura. O grande desafio desse período então é reter, assimilar, guardar esse crescimento e todos esses avanços.

Se você quer saber melhor como funcionam os ciclos planetários e como os planetas dialogam entre si, conheça o Curso de Astrologia da Cia dos Astros e explore disciplinas como aspectos, progressão, sinastria e outras disciplinas que analisam as performances desses planetas e todos esses diálogos e influências na nossa vida: https://ciadosastros.com.br/

O Ingresso do Sol nos Signos

O Sol representa, entre outras tendências de sua personalidade, sua consciência, no dia em que nasceu. Quando comparado em seu movimento com o mapa natal, o ingresso do Sol nos signos é muito importante para determinar tendências comportamentais do coletivo incidindo sobre você durante o período em que ele fica naquele signo.

Há sempre uma modificação da realidade geral experimentada, de acordo com a mudança do planeta que rege este ou aquele signo. Por este motivo, o ingresso dos planetas nos signos é algo muito importante para a astrologia, bem como para análises das mais diversas tendências.

Na astrologia mundial, por exemplo, o ingresso do Sol nos signo de Áries é muito utilizado para determinar qual será a tônica geral do ano para determinada região. Para se ter uma ideia, aqui no Brasil, para se compreender a tônica da capital Brasília, por exemplo, é feito um cálculo do ingresso do Sol no signo de Áries junto às coordenadas da cidade.

Isso irá gerar um mapa com uma configuração particular para aquela região e, como Brasília é a capital do país, irá valer para o Brasil todo. Esse mapa acaba servindo de referência para o ano inteiro e suas características podem ser lidas para determinar os rumos da economia, como estará a sociedade, o setor de saúde entre outros.

O ingresso dos outros planetas nos signos também é importante, especialmente, se estamos falando do ingresso de um planeta que rege determinado signo num outro. O que resulta no seguinte fato: quem tem ênfase nesse signo num mapa acaba vivendo uma diferença de experiências, de acordo com o signo no qual aquele planeta regente entrou. Por exemplo, quando você tem uma ênfase em Gêmeos ou Virgem, que são regidos por Mercúrio, e quando Mercúrio em trânsito ingressa num signo como Áries ou Sagitário, há a tendência para que essas pessoas fiquem mais sinceras e diretas, mais do que a média.  Além disso, podem perder um pouco da sensibilidade ao falar e se tornarem mais apressadas, tal qual os signos do elemento Fogo (Áries e Sagitário).

Ainda assim, para toda e qualquer pessoa, o ingresso de um planeta num signo e seu trânsito por lá marca uma mudança no tom coletivo. Esse mesmo Mercúrio, transitando em Áries ou em Sagitário, faz com que as comunicações em geral fiquem mais aceleradas, ocorram de modo mais direto e simples, sem rodeios, favorecendo as pessoas com comportamento mais prático e descomplicado.

Por outro lado, isso muda quando Mercúrio entra em Touro, por exemplo. Um signo que
segue uma linha mais planejadora, com uma capacidade maior de mexer com recursos,
finanças e prazeres da vida, mas com necessidade de “ruminar” por mais tempo uma
decisão.

Como vimos, há diversas maneiras de usarmos o ingresso dos planetas nos signos para
determinar tendências. Continue acompanhando o nosso blog para saber o que cada
planeta reserva em cada signo do zodíaco!

Achou esse post muito curto e ficou curioso por esse tema? Inscreva-se no Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: https://ciadosastros.com.br/

Como funciona a temível Casa 12?

Nesse post vamos falar sobre um tema que gera muitas dúvidas e controvérsias: a temível Casa 12. Alguns conceitos são importantes para facilitar o entendimento desta casa, o que veremos a seguir.

A Casa 12 é uma casa psíquica, assim como todas as casas de água – Casa 4 e Casa 8. Por este motivo, elas têm um caráter muito mais subjetivo, diferente por exemplo da questões tão objetivas das Casas de Terra (2,6 e 10), por exemplo. Por outro lado, não significa que não possamos compreender com facilidade o que a Casa 12 representa.

A analogia da Casa 12 com o signo de Peixes nos faz ver que essa casa trata de coisas são fluidas, ou seja, ao mesmo tempo em que pode ser uma coisa também pode ser outra. Se pensarmos no signo de Peixes, pensamos e enxergamos de forma panorâmica o universo. O sentimento de pertencer a uma coisa cósmica ou maior que nós, é justamente o conceito por trás da Casa 12. É diferente de pensarmos no signo de Virgem, por exemplo, que olha e se foca nos detalhes.

A Casa 12 é aquilo que está além de nós, o que não se pode comandar ou gerenciar. Isso é semelhante com a questão do signo de Peixes, porque envolve entrega. Tudo que foge ao nosso controle, precisa ser aceito e entregue. Essa casa também tem a ver com a ausência do ego, por isso ela é a última casa. A Casa 1, a primeira do mapa, fala do “eu”, do ego, enquanto a Casa 12 diz respeito a tudo que não está sob controle, que escapa à nossa vontade.

Um macete bastante prático para entender essa casa é compará-la a casa oposta. Isso serve para todas as casas, mas ainda mais para a Casa 12. O que é a Casa 6 e o que é a
Casa 12? Uma é o avesso da outra. Quando falamos da Casa 6 falamos da vida ordinária,
daquilo que organizamos para viver nossa rotina de forma funcional. Segue um ritmo, uma cadência, sempre igual. A organização necessária à Casa 6 existe para que o dia e a nossa vida funcionem. Já quando falamos da Casa 12, sua oposta, vemos que é ela trata
exatamente daquilo que está fora do ordinário, do que é certo, organizado, da cadência. Ou seja, a Casa 12 trata do extraordinário, do que não se controla, do que não depende da nossa vontade e simplesmente acontece, queiramos ou não. Tem que ser aceito.

Isso não significa que o que acontece nessa casa não depende de você. A Casa 12 também fala de todas as forças invisíveis ao nosso redor, que são influenciadas de alguma forma pelas nossas ações. Por isso, essa casa é um reflexo das atitudes que tomamos na Casa 1 e da organização ou da ausência dela na Casa 6. Isso desemboca num questionamento de “Como isso aconteceu?” No fundo, lá atrás fomos responsáveis por isso.

Alguns almanaques falam que a Casa 12 diz respeito a inimigos ocultos. Em primeiro lugar é necessário compreender que essa casa diz respeito àquilo que não temos consciência. A Casa 1 é o consciente, o que você escolhe fazer, as suas próprias vontades. A Casa 12 está na parte de cima do mapa, acima do horizonte. É uma casa pública, mas sem nenhuma consciência. Ora, o que se assemelha a alguma coisa que é ao mesmo tempo pública e inconsciente? Trata-se da nossa nuca ou das nossas costas, que todo mundo vê com exceção de nós mesmos! Ou seja, a nuca e as costas são pedaços de nós que são públicos, mas não os percebemos. Fazendo uma analogia a uma brincadeira de criança; a Casa 12 é aquele papel que você cola nas costas de alguém para que todos leiam, mas quem tem o papel colado em si não sabe o que está escrito. Pode ser um elogio ou um xingamento… Daí vem o fato da Casa 12 ser chamada de casa dos inimigos ocultos. No entanto, isso não quer dizer que só aconteçam coisas ruins.

A Casa 12 também tem a ver com o imponderável. São como os fios invisíveis que ligam e conectam pessoas e acontecimentos, podendo ser positivos ou negativos. No fundo, no fundo, são as nossas própria atitudes de Casa 1 que podem causar benefícios, malefícios ou atrair inimigos sem que percebamos. E tudo isso é Casa 12. Por falar a respeito do que é inconsciente, pode ser difícil lidar com alguns planetas nessa casa, quando temos eles no nosso mapa natal. Por exemplo, Mercúrio fica muito bem na Casa 6, porque é o nosso lado racional e lógico, mas ele na Casa 12 vai procurar entender, explicar e racionalizar o que não se explica, o imponderável. Por isso, Mercúrio de 12 está em exílio terrestre.

Outro planeta que não fica muito adequado na Casa 12 é Marte, que representa a nossa iniciativa, agressividade e a forma como nos defendemos quando somos atacados. Marte na Casa 12 é a luta de tomar iniciativa em questões que estão fora da nossa consciência e controle. Em compensação, alguns planetas funcionam muito bem na Casa 12, como por exemplo, Netuno e Júpiter. Netuno fala das conexões invisíveis que ligam pessoas, acontecimentos, causas e sincronicidades e, por isso, está em domicílio terrestre quando na Casa 12.

Júpiter, regente clássico de Peixes, também está em domicílio terrestre e pode atrair sorte e benefícios numa área em que você não controla. Assim como Vênus, também benéfico e interessante de se ter na Casa 12.

Além de tudo, é muito comum ver em almanaques a Casa 12 ligada a prisões e hospitais. Na verdade ninguém é preso à toa nem internado sem necessidade. Pessoas nessas condições estão fora do ordinário (Casa 6), ou seja, estão numa situação extraordinária, e portanto precisam de ajuda, atenção e cuidados. E é por isso que quem tem muitos planetas na Casa 12, entre outras coisas, podem ser profissionais que mexem com esse lado extraordinário, onde assistência, cuidado e até caridade são necessários: médicos, enfermeiros, pessoas que fazem trabalho voluntário, entre outras.

Do ponto de vista de saúde há também um aspecto bastante interessante. Dentro do mapa, olhamos principalmente a Casa 1, Casa 6, Casa 8 e a Casa 12 quando queremos detalhes da saúde de uma pessoa. A Casa 12 fala sobre as doenças assintomáticas (sem sintomas), que vão deteriorando nosso corpo e não nos apercebemos disso. Lógico, porque não temos consciência. Como é uma casa psíquica, essas doenças têm muito a ver com o nosso estado psíquico. Interessante, não é?

Achou esse tema bem bacana? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Céu de Dezembro


Dezembro já começou tenso por causa da quadratura entre Sol e Marte, que se iniciou no último dia de Novembro e foi até 05/12. Discussões, ânimos acirrados e muita competitividade. As reações tendem a ser impulsivas e agressivas, por isso convém evitar conflitos.

Urano também fica oposto a Vênus desde 29/11 e vai causar estranhamento, rompantes e comportamentos inesperados nos pares afetivos até 02/12. Procure dar mais espaço ao outro para amenizar essa tensão.

Vênus ingressa em Escorpião de 02/12 até o início do ano, intensificando todas as relações afetivas. O interesse sensual fica mais intenso, mas também há um aumento da desconfiança, a insegurança e de ciúmes em relação ao parceiro, o que pode ser corrosivo.

De 4 a 6/12 Netuno e Sol entram em profundo desacordo, gerando falta de perspectivas. Os objetivos de vida parecem que perdem o sentido e o horizonte fica nebuloso, podendo gerar enganos e erros de avaliação. De 5 a 8/12 Netuno também fica conjunto a Marte, fazendo com que seja necessário muito mais esforço para você ver as coisas andarem.

Não é o melhor momento para tomar decisões importantes e partir para a ação, especialmente aquelas decisões que mudam o curso da vida. A visão não é clara e a energia necessária para se ter sucesso não está boa.

Mercúrio cessa seu movimento retrógrado em 6/12, nos dando um alívio para as questões envolvendo comunicação, telefone, internet e transportes. Por outro lado, como ele leva um tempinho para recobrar o pleno movimento direto e, logo em seguida, entra em Sagitário, é bom esperar até a noite do dia 12/12 para fazer aquela divulgação importante ou iniciar uma nova ação de marketing.

Saturno irá nos dar uma ajudinha para encontrar pechinchas e objetos antigos, belos e de valor, ao se harmonizar a Vênus de 15 a 17/12. É também um momento favorável para reforçar os laços afetivos, tornando as parcerias mais sólidas e duradouras. Quase nesse mesmo período Marte se afina bem a Plutão (15 a 18/12), facilitando todas as iniciativas necessárias para eliminar o que não presta e nos dando energia extra para encarar desafios.

Entre 19 a 21/12 deve aumentar o nosso interesse por ideias avançadas e inovadoras, devido a harmonia que Sol e Urano fazem no céu. O foco fica mais dirigido a assuntos tecnológicos e a reunião de pessoas em torno de um ideal em comum, principalmente se estiver ligado a ideologias ou assuntos de vanguarda. É um bom período também para estudos e viagens entre 20 e 22/12, proporcionada pela união de Mercúrio a Júpiter.

Netuno e Vênus nos presenteiam com um agradável toque de romance e fantasia entre 20 e 22/12, sendo uma época muito propícia para apaixonar-se. Seja por uma pessoa encantadora, seja por admirar qualquer tipo de arte, como música, dança, cinema e teatro. Que tal um programa desse nesses dias, especialmente se for com aquela companhia especial?

No dia 21/12 é o Sol que muda de signo, passando para Capricórnio e marcando o início do Verão no Hemisfério Sul e o início do inverno no Hemisfério Norte. Com o Sol em Capricórnio, as características mais marcantes desse signo vão se fazer mais presentes na nossa vida, sendo nós capricornianos ou não. Vamos ter mais tenacidade e persistência para perseguir e alcançar nossos objetivos materiais, mesmo que dê trabalho, e com uma visão mais consistente e pragmática das coisas. Esse é um período que vai até o dia 20 do mês que vem e será muito favorável para planejar cuidadosamente os próximos passos a serem dados na sua profissão e na sua carreira, assim como o que deve ser cortado e o que deve ser reestruturado para buscar sucesso ano seguinte. Mãos à obra!

Exatamente durante o natal, entre 24 e 25/12, Mercúrio e Netuno se desentendem. Isso faz com que o raciocínio fique confuso e turvo. É difícil pensar com clareza agora, e pelo contrário, é muito mais fácil ser enganado. É bom tomar cuidado também com o mau uso da palavra, quando se fala (para não ser erroneamente compreendido), e quando ouve. Outra dica é ficar atento aos caminhos, porque é literalmente mais fácil se perder por eles nesses dias.

No final do ano, entre 27 e 29/12, Plutão e Vênus vão estar formando um belo sextil no céu, aumentando a atração física e a paixão entre os pares românticos, nos preparando para um agradável réveillon!

O Ingresso de Marte em Peixes

Nesse post vamos falar sobre a posição de Marte no céu, que entrou no signo de Aquário nos últimos meses. No dia 16 de Novembro Marte ingressou no signo de Peixes e ficará até o dia 1º de Janeiro, trazendo um cenário bastante interessante.

Esse cenário celeste é coletivo, ou seja, afeta a todos nós. Marte em Astrologia está ligado aos nossos impulsos, iniciativas, a capacidade de empreender, de decidir. Como esse planeta está no signo de Peixes, a dica é que a ação mais eficaz e os impulsos que vão trazer mais êxitos são aqueles em que a nossa atuação seja panorâmica. De que forma? Vamos fazer uma analogia ao futebol. É como se antes de chutar a bola você tenha que examinar o campo todo, o adversário e as condições amplas daquela jogada para fazer o gol. Por isso, nenhuma decisão ou atitude que seja observado apenas o detalhe deve ser tomada neste período, pelo contrário, devem ser analisadas de forma ampla para que se tenha sucesso.

A segunda dica é não brigar, se indispor ou forçar algo em determinadas situações. Evite o conflito, contorne a situação e evite se indispor. Peixes é um signo de água, portanto agir de forma fluente e contornar o confronto, evitando o desgaste de energia, é o mais indicado. Siga sem criar adversidades em torno das suas ações e decisões!

A terceira dica é esperar a maré a seu favor. Quando a maré está ao seu lado é o momento mais favorável para que você tome decisões e encontre menos resistência. Não é preciso nadar contra a correnteza, porque basta usar as velas do barco e o vento a seu favor. Dessa forma, todas as suas decisões fluirão sem muito esforço ou desgaste de energia.

Nesse ingresso de Marte em Peixes uma pequena decisão acaba tendo um efeito dominó, o que é muito positivo coletivamente. Quer dizer, entre outras coisas, que cada pequena decisão ou esforço trará resultados. Aproveite os bons ventos e reme rumo ao seu sucesso!

Essa posição favorece encorajamentos, iniciativas e ações das pessoas que têm Planetas, Ascendente, Sol e Lua em Peixes, Câncer e Escorpião.

Achou esse post muito curto e quer saber mais sobre o ingresso dos Planetas nos signos? Conheça o Curso de Formação em Astrologia: www.ciadosastros.com.br e inscreva-se no nosso canal no youtube: https://bit.ly/2QaLtDV

Vênus, o Amor e a Aliança de Eros

O amor sempre dá o que falar, não à toa as pessoas têm muita curiosidade sobre o assunto. Em Astrologia, o significado essencial de amor é representado por um Planeta específico; Vênus. Este Planeta fala não só sobre os nossos sentimentos, mas também sobre a nossa capacidade de afeição e por quem nos afeiçoamos. Quando se ama alguém, junto ao sentimento de amor surge também uma série de outros sentimentos.

Por outro lado, onde há amor também há encrenca. O grau de complexidade e desses sentimentos adicionais são diferentes astrologicamente, de acordo com os tipos de relação. Relação amorosa, profissional, familiar ou a nível de amizade. Chamamos esse complexo ou padrão de Aliança de Eros. Através dela é possível saber quais são os sentimentos elencados nessas relações, ou seja, no momento em que se é atingido pela flecha do amor.

Para isso, é fundamental identificar os aspectos astrológicos existentes entre a aliança de Vênus com outros planetas no mapa natal. Por exemplo, quando a Vênus forma uma aliança com Saturno e essa relação é harmônica, alguns sentimentos como sentir-se seguro, estruturado e estável são muito evidentes. É como se o amor existente consertasse na vida dessa pessoa uma eventual falta de estrutura pessoal, emocional e material que ela vinha sentindo. Dessa forma, ela sente que a partir da relação amorosa pode andar com solidez; evidenciando o poder estruturador do amor.

Já no caso de uma aliança desarmônica entre Vênus e Saturno, com aspectos complexos e bastante difíceis, há uma briga no mapa natal. Quando se ama, o sentimento elencado ao amor é o de rejeição nessa relação. Ainda que o parceiro não tenha cometido nenhum gesto ou ato depreciativo, é como se a pessoa se sentisse imediatamente rejeitada. O sentimento de estar apaixonado acompanha o sentimento de desmerecimento, insegurança pessoal e da sensação que faltam atributos para que o outro se encante. Logo surgem ideias de que o outro não vai corresponder ao sentimento ou de que a relação vai esfriar ao longo do tempo, pela incapacidade dela de despertar o amor no seu parceiro.

Mais adiante vamos falar da Vênus ligada a outros planetas – como Netuno, Urano e Plutão – com a finalidade de entendermos, com mais clareza e precisão, o que o amor nos faz sentir em cada uma dessas relações no mapa natal.

Achou esse post muito curto? O tema está presente no módulo de aspectos, do Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros, conheça melhor a nossa metodologia: www.ciadosastros.com.br

Não perca nenhum vídeo, inscreva-se no nosso canal do Youtube!

O Ingresso de Júpiter em Sagitário

Nesse post vamos falar brevemente sobre o ingresso de Júpiter em um dos seus signos de domicílio, onde é naturalmente poderoso: Sagitário. O outro signo é Peixes, pela regência Tradicional. É nos signos de domicílio que um planeta fica mais poderoso; nesse caso, Júpiter tende a esbanjar tudo aquilo que ele tem de bom e também o que não é tão bom assim.

Cada vez que Júpiter chega em seus signos de domicílio, normalmente, há uma série de benefícios em relação aos assuntos que ele rege. Nesse caso, Sagitário, que se associa com todos os esquemas que envolvem vida universitária; processos de desenvolvimento do pensamento filosófico, inclusive dos sistemas de crença e questões religiosas, que promovem discussões em âmbitos da vida ligados a isso, permitem nosso crescimento por uma via superior. Por outro lado, isso também vai de encontro com outra faceta sagitariana que é o dogmatismo. Ou seja, a certeza absoluta de alguma coisa, mesmo que não haja provas cabais do funcionamento daquilo que você defende. Esse é um dos primeiros efeitos a ser percebido logo no início do ingresso.

O trânsito de Júpiter por todo o zodíaco costuma levar 11 anos e 315 dias, aproximadamente 12 anos. O planeta Júpiter entra no signo de Sagitário no dia 08 de Novembro de 2018.

Para se ter uma ideia dos efeitos possíveis, há 12 anos, quando Júpiter passou nesse signo (final de 2006 e durante 2007), houve um incremento no sistema de transportes de massa, um alastramento muito veloz de ideias, revelando pessoas vorazes por consumir novos conhecimentos. Houve também, por outro lado, levantes com caráter religioso, como a revolta popular em Myanmar contra o regime militar, revolta liderada por monges budistas, que se envolveram ativamente no conflito. Freiras também aderiram ao movimento. É bem visível a coincidência desses religiosos envolvidos em um drama coletivo, que sensibilizam o mundo com o trânsito de Júpiter e que rege, entre outros fatores, a religiosidade.

Podemos ver essa ideia do alastramento também em nível subjetivo, a partir de notícias falsas manipuladas por propagandistas, por exemplo. Alguém tem a certeza absoluta de que um fato realmente aconteceu ou que fulano é o malvado ou que deixa de ser, e isso se espalha rapidamente. Essas crenças e dogmas inquestionáveis também estão na seara do Planeta Júpiter. Por este motivo, quando muito poderoso como em sua passagem em signos de domicílio (repetindo: Sagitário e Peixes), ficamos o ano inteiro sujeitos a essas tendências dogmáticas mais fortes. Por outro lado, também há benefícios poderosos. Dessa forma, assim como há um incremento e melhorias no sistema de transportes, também pode haver um lucro maior dessas empresas. Júpiter é um dos planetas que mexem com o imaginário; dessa forma as pessoas tendem a ficar um pouco mais otimistas nesse período.

Quando fazemos uma projeção para signos solares do zodíaco de uma pessoa, ou seja, quem tem signo X ou Y, quem nasceu com planetas dentro do signo de Sagitário encontra Júpiter em um aspecto muito bom para ganhar entusiasmo, confiança e fé na vida. Isso também vai ser um benefício para quem tem algum planeta – sobretudo Sol, Lua, Mercúrio, Vênus e Marte – em Áries e Leão, porque farão um aspecto benéfico e harmônico, chamado Trígono, com todos os planetas que estiverem nesses signos ao longo do ano todo.

Sagitário, Áries e Leão são signos do elemento Fogo, portanto todos os fatores de fogo dentro do mapa também estarão favorecidos. Inclusive, as chances de fazer longas viagens e conhecer culturas diferentes serão bem maiores para pessoas com ênfases nesses signos, assim como elas também podem ter alguma evidência em cursos universitários ou em sistemas religiosos. Outros signos que tendem a ganhar benefícios são Aquário e Libra, que estão no aspecto de Sextil; uma distância angular que os signos ficam e que favorece aspectos harmônicos. Pessoas com planetas nesses signos encontrarão com mais facilidade recursos e soluções, apoio de amigos e pessoas interessadas no bem-estar e em projetos de vanguarda para o coletivo, boas associações, favorecimento em assuntos litigiosos ou que merecem um acordo (especialmente em se tratando de Libra).

Já quem tem ênfase e planetas dentro dos signos de Gêmeos, Virgem e Peixes pode ter dificuldades com pessoas ligadas ao meio acadêmico. O lado crítico de Virgem vai ter que lidar com o dogmatismo presente e o lado sensível de Peixes vai ter que lidar com formas mais diretas, talvez até meio rudes, de expressão de pessoas com quem lida. Também é bom ficar atento para, quando for viajar, não perder bagagens. Isso pode ser contornado com uma boa sistematização.

Os signos mais neutros na passagem de Júpiter em Sagitário são Touro, Câncer, Escorpião e Capricórnio, o que não significa que ele não vai ter efeito nenhum para estes signos. Em algum ponto do mapa pode acabar tocando um ou outro planeta por aspectos, como já falamos.

Curtiu esse post, mas achou muito curto? Inscreva-se no Curso de Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Não perca nenhum vídeo no nosso canal, inscreva-se no YOUTUBE: https://bit.ly/2CxefY5

Céu de Novembro

O mês de Novembro já começa sob a tensão de Urano a Vênus, que vai até dia 02/11. Tal como falado no final do capítulo sobre o Céu do Mês de Outubro, é bom não querer controlar muito quem você ama para evitar atritos e rompimentos nas relações afetivas.

De 5 a 7/11 Sol e Netuno entram em mútua sintonia. Como consequência. a intuição vai ficar muito mais forte e clara. Não deixe de prestar atenção a insights, coincidências e sincronicidades que podem aclarar muito a nossa percepção da realidade.

No dia seguinte, de 8 a 10/11, Vênus em Libra (seu domicílio celeste) e Marte, respectivamente símbolos de masculino e feminino, passam a se entender muito bem devido a um belo trígono que formam no céu. Esse período promete ser um bom incentivo à união harmoniosa entre os sexos. Muito bom para flertar, namorar, conquistar e seduzir.

Júpiter passa a transitar por Sagitário a partir do dia 8/11. Neste signo Júpiter pode exercer totalmente suas dádivas, e nós poderemos usufruir de todas as benesses que ele normalmente propicia. Júpiter rege as longas jornadas, sejam elas físicas (viagens a locais distantes) sejam intelectuais, com os estudos superiores, pós-graduações, a filosofia e o conhecimento. Todas essas atividades serão favorecidas e expandidas. Júpiter rege também a Justiça e os princípios morais, a fé e a religião, a sorte e todas as possibilidades de expansão do nosso mundo. Aproveite que esse presente acontece uma vez a cada 12 anos e vai durar um ano a partir de agora.

Sol e Plutão ficam em harmonia de 10 a 12/11, aumentando o nosso poder de afirmação pessoal e a determinação de avançar e lutar pelos nossos objetivos. Se você está passando por alguma situação que desperta a necessidade de se impor e exercer sua individualidade e identidade porque está subjugado, a hora é essa.

De 13 a 20/11 uma incômoda quadratura de Mercúrio e Netuno deve confundir o intelecto e as comunicações. É comum nesse aspecto que se compreenda errado o que é dito. Mistura-se informações sem perceber e, normalmente, isso leva a terríveis enganos. Por isso, procure checar e verificar tudo o que envia e lê. Cuidado também com as rotas de trânsito para não se perder pelos caminhos.

Aproveite a energia positiva que Marte e Urano nos reservam entre os dias 13 e 16/11, pois o nível de atividade deve aumentar facilitando que mais coisas sejam resolvidas do que o de costume,  de uma maneira diferente, mais rápida e mais criativa.

Com a entrada de Marte no signo de Peixes (de 15/11 a 31/12), nossas motivações e iniciativas vão estar mais subordinadas às nossas emoções e a questões mais subjetivas, embora isso não fique muito consciente. Podemos ficar irritados, alegres ou motivados, conforme o ambiente estiver de um jeito ou de outro. É também um período em que a introspecção e a subjetividade flui mais fácil do que a ação direta.

No dia 16/11 dois planetas alternam seu movimento em relação à Terra. Durante a manhã, Vênus em Libra volta ao movimento direto, fazendo com que as questões afetivas fiquem menos voltadas ao passado e mais direcionadas ao presente e futuro. Porém, à noite, Mercúrio volta a retrogradar, causando as costumeiras complicações nas comunicações e nos transportes, causando atrasos, troca de destinatários das correspondências e oscilação na internet e nas redes de comunicação até o dia 6/12.

De 17 a 22/11 prepare-se para a adrenalina. Marte e Júpiter em quadratura vão provocar excesso de autoconfiança, acirramento dos ânimos, muita competição, brigas e falta de bom senso. Evite esses exageros para não se arrepender depois.

Não bastasse o regente de Sagitário entrar nesse signo em Novembro, agora é a vez do Sol também transitar por ele de 22/11 a 21/12. Como Sagitário é um signo ligado à aventura, à exploração de novas fronteiras, à justiça e à fé. O fato do Sol e seu regente estarem por aqui, faz com que esse tom deva permear fortemente as nossas ações nesse período. Devemos ficar mais otimistas e filosóficos, além de termos um toque maior de franqueza. As questões filosóficas e as crenças pessoais e coletivas também ficam mais evidentes, principalmente entre 24 e 27/11, quando ambos caminham de mãos dadas.

Entre 25 e 26/11 é bom ter papas na língua, porque Mercúrio e Marte em forte tensão devem provocar muitas reações verbais impulsivas. Irritação e discussões podem ser frequentes, sem chegar a lugar algum. É bom também ter cuidado para evitar acidentes nos deslocamentos devido à extrema falta de paciência. Para ajudar esse clima tenso, o Sol se une a Mercúrio de 26 a 27/11. Isso dá um pouco mais de clareza, discernimento e juízo, enquanto Saturno em sextil a Marte (até 29/11) arrefece um pouco as hostilidades.  No dia 30/11 Marte quadra o Sol, fazendo com que as discussões que estavam mais no âmbito da conversa cheguem às vias de fato, pelo aumento da impulsividade e competitividade. Convém esfriar os ânimos, principalmente devido ao agravante de que, até o dia 5/12, acontece uma oposição de Urano a Vênus, entre 29/11 a 2/12, criando atritos e reações inesperadas nas relações afetivas e financeiras.

Nodos lunares e seus significados

Os nodos lunares nem sempre são utilizados na interpretação astrológica, mas eles trazem informações bastante pertinentes em relação ao mapa natal. Podem indicar momentos importantes em trânsitos e em progressões, entre outras análises.

Também conhecidos como Cabeça do Dragão (Nodo Norte) e Cauda do Dragão (Nodo Sul), os nodos são o encontro da órbita lunar com a trajetória do Sol. Existem duas trajetórias, um pouquinho inclinadas uma em relação a outra, e entre os pontos formados por essa inclinação há o encontro entre ambos.

Ambos os nodos representam a ligação entre masculino (órbita do Sol) e feminino (órbita da Lua). Um dos muitos significados dos nodos é o encontro de pessoas significativas em nossas vidas. Nodos ativados por trânsitos e transgressões podem representar a chegada de determinadas pessoas que fazem com que você mude a sua visão de mundo. Por exemplo, um professor que será importante, o amor da sua vida, alguém que o puxou pela mão e mostrou um caminho novo, abrindo um leque de possibilidades muito interessantes.

Há algumas diferenças entre os nodos. O Nodo Norte indica um caminho e uma direção de vida. É muito comum que quando você consegue ir rumo a Casa e Signo indicados por ele, as coisas na sua vida começam a se encaixar. O nodo oposto, o Nodo Sul, indica uma série de comportamentos que fazemos automaticamente, sem pensar. Por exemplo, se você tem o Nodo Sul na Casa 6, automaticamente, você assume comportamentos de organização do seu dia a dia. Você não precisa pensar “tenho que organizar o meu dia”, você simplesmente o organiza. Já se você tem o Nodo Sul na Casa 3, por exemplo, você faz contatos automaticamente. Mesmo que tenha um Mercúrio que não é comunicativo, há uma busca por informação e conexão com as outras pessoas.

O Nodo Sul, além de tratar de comportamentos automáticos e inconscientes, também tem uma relação com a hereditariedade. Aquilo que nós trazemos na nossa carga genética quando nascemos ou, caso você acredite em reencarnação, aquilo que você trouxe de vidas passadas. Os antepassados têm profunda relação com o Nodo Sul. Por isso, ao nascermos, exercemos esses comportamentos automáticos indicados pelo Nodo Sul. Desde que nascemos, este nodo indica a rota que preferimos seguir para abrir caminhos e nos desenvolver. No entanto, a uma certa altura da vida, essas atitudes começam a se desgastar e a vida começa a estagnar e a se repetir.

No Nodo Norte há um certo receio de tomar atitudes indicadas por ele no mapa natal, até que a vida dá um empurrão e somos obrigados a tomar aquela direção. A impressão é a de que o universo se abre quando ganhamos coragem para ter determinados comportamentos indicados pelo Nodo Norte (Signo e Casa). A vida fica mais brilhante! Não é a toa que quando tomamos esse caminho, as coisas começam a dar certo. Entretanto, devemos lembrar que ambos os nodos formam na verdade um eixo. Dessa forma, ambos trabalham em conjunto e interdependem um do outro. Na verdade, não existe um Nodo bom e outro ruim. O segredo é usar a potência gerada automaticamente pelo Nodo Sul, para conseguir alcançar uma direção de vida nova e frutífera, que sempre será indicada pelas características do seu Nodo Norte natal. Quando isso acontece, há o sentimento de satisfação pessoal e uma agradável sensação de missão cumprida.

Ao analisar os nodos é preciso levar em conta, além do eixo de signos e casas em que se encontram, os aspectos que fazem com o Sol, a Lua e os planetas, pois tudo isso é importante na leitura do mapa.

 

Gostou desse conteúdo, mas achou ele muito curto?
Venha estudar com a Companhia dos Astros: https://ciadosastros.com.br/

Página 2 de 10