Mês: fevereiro 2019

Dores da alma: ansiedade

A ansiedade é uma dor da alma muito presente nos dias de hoje. Se você se interessa pelo tema, com certeza, vai gostar de saber um pouco mais sobre o assunto na perspectiva astrológica.

O ansioso é hiper-reativo a estímulos externos: barulhos, luzes, movimentos e enfrenta o aspecto mental de que a sua mente não para de trabalhar, só produz o tempo todo. O ansioso é também um indivíduo abstrato, porque está sempre fora do lugar, fora do contexto e supondo situações, se adiantando.

Quem enfrenta a ansiedade possui um sério problema com o tempo, porque vive uma situação que ainda não chegou a acontecer. Por isso, a angústia por antecipação.

O sofrimento do ansioso é a espera; diante da espera pelo resultado de um exame ou pelo resultado do ENEM, por exemplo, ele fica num estado de suspensão. Quando tem um desfecho, mesmo que ruim, é um alívio. O indivíduo pensa “graças a Deus, não passei. Mas agora, pelo menos, posso dormir.”

O ansioso também possui baixos recursos internos, tudo que está dentro é muito pequeno, apertado e, por isso, tudo transborda. Tudo que é sustentação o ansioso não possui, por isso, geralmente tem uma aceleração de pulso, cardíaca e dificuldade de deglutição.

São personalidades com uma tendência muito grande de interferir nos processos, estão sempre atuando, resolvendo e interferindo em determinadas situações, porque sentem que dessa forma estão movendo as coisas.

O estado de inquietação e sofrimento pela espera, como uma ligação pra dizer sim ou não para um cinema, é tremendo. O ansioso também tem uma tendência abortiva, isso quer dizer que ele pode ficar esperando 10 minutos pra saber se vai ao cinema e, logo depois, desistir da saída e falar “não vou mais”. Tudo está em movimento o tempo todo!

A ansiedade deriva do medo e da expectativa de que algo que ainda vai acontecer possa acontecer fora do controle de quem sofre desse mal e, mais, ter um resultado adverso do que o indivíduo imaginou.

Quem lida diariamente com a ansiedade encontra uma baixa predisposição para passar pelos processos e pelas etapas, a pessoa não corre, voa pelas experiências da vida, mesmo aquelas que são boas e prazerosas (até mesmo as sensoriais). Num momento de prazer, por exemplo, ela já está pensando no próximo passo.

Os indicadores astrológicos são: o excesso do elemento fogo e ar; da polaridade masculina, que é ativa; elemento ar dominante (abstracionismo); muitos planetas em Gêmeos (pensar sobre, os muitos ‘e se’); Aquário; Urano proeminente; as configurações Urano/Marte; Urano/Mercúrio e Urano/Júpiter.

Um fato interessante é o de quando há uma configuração desarmoniosa entre Urano e Júpiter não existe contenção, é tudo solto e desamarrado. Outro indicador astrológico da ansiedade é Júpiter proeminente ou angular, um trânsito de Júpiter/Sol, por exemplo, em que o  indivíduo quer abarcar tudo no mundo e entra em ansiedade.

Algo bastante interessante a respeito do quadro de ansiedade é que o ansioso melhora muito quando começa a ter mais espaço e tempo entre os acontecimentos, como uma prova hoje e outra na semana que vem. Quando tudo está misturado a ansiedade é tremenda. Outro aspecto importante é quando ele começa a querer menos, fazer menos, baixar um pouco a bola. Trânsitos repetidos de Júpiter revelam uma pessoa hiper ansiosa porque ela visualiza a quantidade de coisas que ela poderia abarcar e resolver, mas que ela não pode ter/fazer. É como uma criança em uma loja enorme de doces e guloseimas.

Outros aspecto astrológicos indicadores da ansiedade são: deficiência do elemento Terra, claramente, porque esse elemento quando equilibrado é que traz o indivíduo para o momento presente;  Marte proeminente, a pressa que traz a palpitação e ansiedade. É como se a pessoa ainda não tivesse entregado um documento e, mesmo assim, ela já quer saber quando vai ficar pronto, ou seja, não cumpre as etapas e os processos.

Além disso, há uma deficiência da polaridade feminina, que serve para acolher e gerar um pouco antes de colocar para fora, como a mãe que acolhe o filho no útero materno. Também há deficiência da casa 4, que possui esses recursos internos de acolhimento.

Também são indicadores astrológicos: Saturno angular, saturno de casa 5, Saturno/Plutão (ligado ao controle) e o mau desempenho da casa 12, que é justamente espaço da vida em que as coisas estão em gestação e o próprio indivíduo não sabe no que aquilo que vai dar. Na família da ansiedade encontramos a preocupação, o medo, pânicos e fobias.

Curtiu esse post? Fique de olho no próximo tema no nosso blog ‘Dores da Alma’, DEPRESSÃO!

Esse estudo utilizou como referência alguns conceitos apresentados no livro “Os Quatro Gigantes da Alma” de Mira Y Lópes – Editora Olympio.

Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Céu de Fevereiro

Fevereiro começa com Vênus e Urano em harmonia de 02/02 a 03/02, nos provocando a experimentar o novo: novas amizades, novas comidinhas, novos ambientes, novas ideias, novas pessoas. Procure ser original e experimentar uma vida social excitante. Surpresas serão bem-vindas e vão impressionar positivamente nesses dias. De 03/02 a 04/02 Mercúrio e Júpiter ainda dão uma ajudinha, facilitando as comunicações. Aproveite! Aó esteja atento ao aspecto tenso entre Marte e Plutão, que começou em 31/01 e já provocou algumas situações explosivas que poderiam ser evitadas.

A seguir há bons aspectos no céu: Sol em harmonia a Júpiter (de 06/02 a 09/02), Mercúrio e Marte entre (07/02 e 08/02) e Mercúrio e Urano, de 09/02 a 10/02 (até o dia 12/01), também vão indicar momentos ótimos para fazer viagens, iniciar estudos ou tomar medidas ousadas com clareza e determinação.

O clima fica um pouco tenso entre 11/02 e 14/02, por causa da conjunção entre Marte e Urano. O cenário é repleto de precipitações e alta ansiedade, inclusive podendo causar acidentes. Por isso, vá com calma.

Marte passa pelo signo de Touro de 14/02 a 31/03, privilegiando todas as iniciativas mais voltadas para sua segurança e desejos pessoais. Por outro lado, o curso da ação tende a ser bem pragmático, principalmente nas relações custo-benefício, ou seja, se a equação indicar muito esforço para pouco resultado, será mais difícil sair da inércia. Um bom conselho, neste sentido, é evitar muita acomodação caso você precise alcançar algo concreto.

Na noite do dia 18/02 o Sol entra em Peixes, permanecendo neste signo até dia 20/03. Com o Sol em Peixes ficamos mais aptos a perceber para além do nosso mundo concreto. Há uma tendência natural a ficarmos mais abertos para os assuntos místicos, religiosos ou sutis. Mas também nos tornamos mais desligados ou menos concentrados nas questões concretas, com possibilidade de confundir o real e o imaginário. O Sol em Peixes exalta a criatividade, o mundo irreal, o encantamento e a elevação que as artes nos proporcionam. Em contrapartida, há mais ingenuidade, fantasia e sedução pelo mundo noturno.

Mercúrio entra em Peixes no dia 19/02 e só passa para Áries no dia 17/04, devido às suas retrogradações, reforçando ainda mais o que foi dito sobre o Sol em Peixes, mas com algumas peculiaridades. É um período em que a comunicação e o raciocínio ficam menos objetivos e lineares. Nesse período é muito mais fácil ver o todo de uma situação do que analisar racionalmente cada parte. O “big picture” fica mais perceptível, e por isso é mais fácil deixar passar batido os detalhes. Se eles forem importantes, faça um esforço maior nesse sentido para não incorrer em erros de interpretação ou omissão de dados, tanto na linguagem escrita como falada.

Há mais coisa boa no céu: Vênus em sextil com Netuno (de 16/02 a 18/02) e Sol de bem com Urano, de 17/02 a 19/02, facilitando o envolvimento romântico e trazendo excitação ao mesmo tempo. No entanto, como há duas conjunções quase simultâneas de Vênus e Saturno (de 17/02 a 19/02) e Mercúrio com Netuno (de 18/02 a 19/02) existem chances reais desses encontros vingarem, caso não baixe uma timidez extrema. Procure privilegiar a linguagem não verbal, já que a comunicação racional não será tão efetiva agora.

Com o sextil entre Mercúrio e Saturno, até 20/02, será um momento propício para compreender racionalmente a “mágica” que ocorreu nos dias anteriores.

Mercúrio forma vários aspectos a seguir: recebe uma quadratura de Júpiter entre 21/02 e 23/02, um sextil de Vênus entre 22/02 e 28/02 e um sextil de Plutão entre 22/02 e 24/02. Júpiter irá gerar verborragia excessiva e inundação de informação, mas Vênus e Plutão podem propiciar momentos muito positivos para fazer valer seu ponto de vista negociando questões financeiras ou, até mesmo, com um maior poder de sedução nas questões amorosas.

Um ponto de atenção ocorre entre 22/02 e 23/02, por causa da conjunção Vênus/Plutão: assim, podem surgir paixões arrebatadoras, excesso de ciúmes ou extrema necessidade de controle da pessoa amada.

Se você precisa começar alguma coisa que anda meio travada, aproveite o sextil que ocorre entre 24/02 e 02/03, principalmente se envolver contato ou colaboração de outras pessoas, pois será mais fácil sair da inércia nesse período.

No último dia do mês começa um quadratura entre Vênus e Urano, que se desfaz somente em 02/03, indicando maior necessidade de excitação e novidades na vida social. Aproveite o clima, mas não exagere!