Mês: dezembro 2018

Como funciona a temível Casa 12?

Nesse post vamos falar sobre um tema que gera muitas dúvidas e controvérsias: a temível Casa 12. Alguns conceitos são importantes para facilitar o entendimento desta casa, o que veremos a seguir.

A Casa 12 é uma casa psíquica, assim como todas as casas de água – Casa 4 e Casa 8. Por este motivo, elas têm um caráter muito mais subjetivo, diferente por exemplo da questões tão objetivas das Casas de Terra (2,6 e 10), por exemplo. Por outro lado, não significa que não possamos compreender com facilidade o que a Casa 12 representa.

A analogia da Casa 12 com o signo de Peixes nos faz ver que essa casa trata de coisas são fluidas, ou seja, ao mesmo tempo em que pode ser uma coisa também pode ser outra. Se pensarmos no signo de Peixes, pensamos e enxergamos de forma panorâmica o universo. O sentimento de pertencer a uma coisa cósmica ou maior que nós, é justamente o conceito por trás da Casa 12. É diferente de pensarmos no signo de Virgem, por exemplo, que olha e se foca nos detalhes.

A Casa 12 é aquilo que está além de nós, o que não se pode comandar ou gerenciar. Isso é semelhante com a questão do signo de Peixes, porque envolve entrega. Tudo que foge ao nosso controle, precisa ser aceito e entregue. Essa casa também tem a ver com a ausência do ego, por isso ela é a última casa. A Casa 1, a primeira do mapa, fala do “eu”, do ego, enquanto a Casa 12 diz respeito a tudo que não está sob controle, que escapa à nossa vontade.

Um macete bastante prático para entender essa casa é compará-la a casa oposta. Isso serve para todas as casas, mas ainda mais para a Casa 12. O que é a Casa 6 e o que é a
Casa 12? Uma é o avesso da outra. Quando falamos da Casa 6 falamos da vida ordinária,
daquilo que organizamos para viver nossa rotina de forma funcional. Segue um ritmo, uma cadência, sempre igual. A organização necessária à Casa 6 existe para que o dia e a nossa vida funcionem. Já quando falamos da Casa 12, sua oposta, vemos que é ela trata
exatamente daquilo que está fora do ordinário, do que é certo, organizado, da cadência. Ou seja, a Casa 12 trata do extraordinário, do que não se controla, do que não depende da nossa vontade e simplesmente acontece, queiramos ou não. Tem que ser aceito.

Isso não significa que o que acontece nessa casa não depende de você. A Casa 12 também fala de todas as forças invisíveis ao nosso redor, que são influenciadas de alguma forma pelas nossas ações. Por isso, essa casa é um reflexo das atitudes que tomamos na Casa 1 e da organização ou da ausência dela na Casa 6. Isso desemboca num questionamento de “Como isso aconteceu?” No fundo, lá atrás fomos responsáveis por isso.

Alguns almanaques falam que a Casa 12 diz respeito a inimigos ocultos. Em primeiro lugar é necessário compreender que essa casa diz respeito àquilo que não temos consciência. A Casa 1 é o consciente, o que você escolhe fazer, as suas próprias vontades. A Casa 12 está na parte de cima do mapa, acima do horizonte. É uma casa pública, mas sem nenhuma consciência. Ora, o que se assemelha a alguma coisa que é ao mesmo tempo pública e inconsciente? Trata-se da nossa nuca ou das nossas costas, que todo mundo vê com exceção de nós mesmos! Ou seja, a nuca e as costas são pedaços de nós que são públicos, mas não os percebemos. Fazendo uma analogia a uma brincadeira de criança; a Casa 12 é aquele papel que você cola nas costas de alguém para que todos leiam, mas quem tem o papel colado em si não sabe o que está escrito. Pode ser um elogio ou um xingamento… Daí vem o fato da Casa 12 ser chamada de casa dos inimigos ocultos. No entanto, isso não quer dizer que só aconteçam coisas ruins.

A Casa 12 também tem a ver com o imponderável. São como os fios invisíveis que ligam e conectam pessoas e acontecimentos, podendo ser positivos ou negativos. No fundo, no fundo, são as nossas própria atitudes de Casa 1 que podem causar benefícios, malefícios ou atrair inimigos sem que percebamos. E tudo isso é Casa 12. Por falar a respeito do que é inconsciente, pode ser difícil lidar com alguns planetas nessa casa, quando temos eles no nosso mapa natal. Por exemplo, Mercúrio fica muito bem na Casa 6, porque é o nosso lado racional e lógico, mas ele na Casa 12 vai procurar entender, explicar e racionalizar o que não se explica, o imponderável. Por isso, Mercúrio de 12 está em exílio terrestre.

Outro planeta que não fica muito adequado na Casa 12 é Marte, que representa a nossa iniciativa, agressividade e a forma como nos defendemos quando somos atacados. Marte na Casa 12 é a luta de tomar iniciativa em questões que estão fora da nossa consciência e controle. Em compensação, alguns planetas funcionam muito bem na Casa 12, como por exemplo, Netuno e Júpiter. Netuno fala das conexões invisíveis que ligam pessoas, acontecimentos, causas e sincronicidades e, por isso, está em domicílio terrestre quando na Casa 12.

Júpiter, regente clássico de Peixes, também está em domicílio terrestre e pode atrair sorte e benefícios numa área em que você não controla. Assim como Vênus, também benéfico e interessante de se ter na Casa 12.

Além de tudo, é muito comum ver em almanaques a Casa 12 ligada a prisões e hospitais. Na verdade ninguém é preso à toa nem internado sem necessidade. Pessoas nessas condições estão fora do ordinário (Casa 6), ou seja, estão numa situação extraordinária, e portanto precisam de ajuda, atenção e cuidados. E é por isso que quem tem muitos planetas na Casa 12, entre outras coisas, podem ser profissionais que mexem com esse lado extraordinário, onde assistência, cuidado e até caridade são necessários: médicos, enfermeiros, pessoas que fazem trabalho voluntário, entre outras.

Do ponto de vista de saúde há também um aspecto bastante interessante. Dentro do mapa, olhamos principalmente a Casa 1, Casa 6, Casa 8 e a Casa 12 quando queremos detalhes da saúde de uma pessoa. A Casa 12 fala sobre as doenças assintomáticas (sem sintomas), que vão deteriorando nosso corpo e não nos apercebemos disso. Lógico, porque não temos consciência. Como é uma casa psíquica, essas doenças têm muito a ver com o nosso estado psíquico. Interessante, não é?

Achou esse tema bem bacana? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Céu de Dezembro


Dezembro já começou tenso por causa da quadratura entre Sol e Marte, que se iniciou no último dia de Novembro e foi até 05/12. Discussões, ânimos acirrados e muita competitividade. As reações tendem a ser impulsivas e agressivas, por isso convém evitar conflitos.

Urano também fica oposto a Vênus desde 29/11 e vai causar estranhamento, rompantes e comportamentos inesperados nos pares afetivos até 02/12. Procure dar mais espaço ao outro para amenizar essa tensão.

Vênus ingressa em Escorpião de 02/12 até o início do ano, intensificando todas as relações afetivas. O interesse sensual fica mais intenso, mas também há um aumento da desconfiança, a insegurança e de ciúmes em relação ao parceiro, o que pode ser corrosivo.

De 4 a 6/12 Netuno e Sol entram em profundo desacordo, gerando falta de perspectivas. Os objetivos de vida parecem que perdem o sentido e o horizonte fica nebuloso, podendo gerar enganos e erros de avaliação. De 5 a 8/12 Netuno também fica conjunto a Marte, fazendo com que seja necessário muito mais esforço para você ver as coisas andarem.

Não é o melhor momento para tomar decisões importantes e partir para a ação, especialmente aquelas decisões que mudam o curso da vida. A visão não é clara e a energia necessária para se ter sucesso não está boa.

Mercúrio cessa seu movimento retrógrado em 6/12, nos dando um alívio para as questões envolvendo comunicação, telefone, internet e transportes. Por outro lado, como ele leva um tempinho para recobrar o pleno movimento direto e, logo em seguida, entra em Sagitário, é bom esperar até a noite do dia 12/12 para fazer aquela divulgação importante ou iniciar uma nova ação de marketing.

Saturno irá nos dar uma ajudinha para encontrar pechinchas e objetos antigos, belos e de valor, ao se harmonizar a Vênus de 15 a 17/12. É também um momento favorável para reforçar os laços afetivos, tornando as parcerias mais sólidas e duradouras. Quase nesse mesmo período Marte se afina bem a Plutão (15 a 18/12), facilitando todas as iniciativas necessárias para eliminar o que não presta e nos dando energia extra para encarar desafios.

Entre 19 a 21/12 deve aumentar o nosso interesse por ideias avançadas e inovadoras, devido a harmonia que Sol e Urano fazem no céu. O foco fica mais dirigido a assuntos tecnológicos e a reunião de pessoas em torno de um ideal em comum, principalmente se estiver ligado a ideologias ou assuntos de vanguarda. É um bom período também para estudos e viagens entre 20 e 22/12, proporcionada pela união de Mercúrio a Júpiter.

Netuno e Vênus nos presenteiam com um agradável toque de romance e fantasia entre 20 e 22/12, sendo uma época muito propícia para apaixonar-se. Seja por uma pessoa encantadora, seja por admirar qualquer tipo de arte, como música, dança, cinema e teatro. Que tal um programa desse nesses dias, especialmente se for com aquela companhia especial?

No dia 21/12 é o Sol que muda de signo, passando para Capricórnio e marcando o início do Verão no Hemisfério Sul e o início do inverno no Hemisfério Norte. Com o Sol em Capricórnio, as características mais marcantes desse signo vão se fazer mais presentes na nossa vida, sendo nós capricornianos ou não. Vamos ter mais tenacidade e persistência para perseguir e alcançar nossos objetivos materiais, mesmo que dê trabalho, e com uma visão mais consistente e pragmática das coisas. Esse é um período que vai até o dia 20 do mês que vem e será muito favorável para planejar cuidadosamente os próximos passos a serem dados na sua profissão e na sua carreira, assim como o que deve ser cortado e o que deve ser reestruturado para buscar sucesso ano seguinte. Mãos à obra!

Exatamente durante o natal, entre 24 e 25/12, Mercúrio e Netuno se desentendem. Isso faz com que o raciocínio fique confuso e turvo. É difícil pensar com clareza agora, e pelo contrário, é muito mais fácil ser enganado. É bom tomar cuidado também com o mau uso da palavra, quando se fala (para não ser erroneamente compreendido), e quando ouve. Outra dica é ficar atento aos caminhos, porque é literalmente mais fácil se perder por eles nesses dias.

No final do ano, entre 27 e 29/12, Plutão e Vênus vão estar formando um belo sextil no céu, aumentando a atração física e a paixão entre os pares românticos, nos preparando para um agradável réveillon!